Apesar de não ser obrigatório pelas regras brasileiras, o seguro-viagem é uma maneira de prevenir contratempos que podem surgir durante uma viagem corporativa. Além disso, apesar dos muitos prejuízos, a pandemia de Covid-19 trouxe um maior entendimento sobre sua importância. Afinal, viajar sem essa proteção se tornou algo impensável para grande parte das pessoas.

No entanto, as empresas precisam orientar o viajante a comprar o produto certo. Pois, apesar dessa maior conscientização sobre a saúde, outras questões também são contempladas no seguro viagem.

Continue a leitura e entenda um pouco mais sobre o seguro-viagem e a razão pela qual ele é um item importante a ser considerado em viagens corporativas.

Por que contratar um seguro-viagem?

Primeiramente, sabemos que nem sempre as coisas acontecem conforme o planejado. Por isso, ater-se aos detalhes é fundamental para que tanto o colaborador quanto o empregador sintam-se seguros diante de qualquer situação.  

Alguns países solicitam a contratação prévia de seguro viagem como condição para o desembarque. Outros exigem ainda mais como, por exemplo, os valores das coberturas. Por isso, quando a viagem for internacional, é importante atentar-se às orientações sobre as determinações legais do seu destino.

Já em deslocamentos domésticos, é comum que as empresas não contratem seguro-viagem, mas esse movimento pode evitar danos à empresa, em caso de acidente ou imprevisto mais sério. Pois, legalmente, elas são responsáveis por seus funcionários durante as viagens à trabalho. Ou seja, para prever custos e também para o bem-estar de seus funcionários e do seu negócio, o ideal é adotar o seguro-viagem como um padrão. Ademais, ainda que no Brasil esse tipo de seguro não seja obrigatório, mostrar-se empático e pode ser um grande diferencial.

O que o seguro-viagem cobre

As coberturas que os diferentes planos de seguro-viagem proporcionam podem variar. Em viagens domésticas, por exemplo, o seguro é importante por conta de acidentes, cancelamentos, perda de bagagens e outras questões que fogem ao controle do cliente e do

prestador de serviço. Entretanto, as coberturas básicas envolvem o seguinte:

● Assistência médica durante a viagem;

● Assistência jurídica;

● Acidentes pessoais;

● Extravio de bagagens.

Porém, como já explicamos, alguns países determinam que o seguro inclua algumas condições. Para os países que fazem parte do Tratado de Schengen, por exemplo, há regras pré-determinadas com exigências do seguro de viagem como um valor mínimo de € 30 mil.

Os Estados Unidos, um dos destinos mais frequentes da área corporativa, não exigem nenhum tipo de seguro. Porém, os serviços médicos dos norte-americanos são caros e podem causar conflitos com a Política de Viagens da sua empresa, por exemplo. Portanto, a falta de obrigatoriedade aumenta ainda mais a necessidade de contratar previamente um seguro-viagem.

A contratação de um seguro anual pode trazer melhores condições comerciais para as corporações. Não deixe de entender como funciona e se atende sua corporação.

Com a Premier Turismo, a sua viagem corporativa sempre sai do jeito que você merece. Entre em contato e solicite uma proposta.

Leia também:

O que a legislação trabalhista prevê sobre viagens corporativas?

Relatório da Anac mostra que voar no Brasil nunca foi tão barato